terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Planetas

Alpha (Galáxia Sul) Mundo primitivo completamente arrasado junto a outros planetas por onde Majin Buu passou, há aproximadamente cinco milhões de anos. Em Dragon Ball Z, foi visitado por Goku enquanto praticava o Shunkanido que acabara de aprender no planeta Yardarrat. Não se tem relatos sobre a cultura e o nível tecnológico que seus habitantes possuíram, muito menos seu aspecto anatômico. Arlia (episódio 11 - Dragon Ball Z) Nappa e Vegeta encontraram este planeta no decorrer da viagem que estavam fazendo rumo à Terra. É um planeta sombrio, aparentemente sem nenhum tipo de vegetação. A possibilidade da existência de água neste planeta também é remota. Apesar destas características, existem formas de vida inteligente habitando a região. São seres semelhantes a gafanhotos gigantes, de poder relativamente alto, comparado ao padrão de poder terrestre. Sua tecnologia é bastante inferior a da Terra. O líder destes gafanhotos gigantes é um tirano que tomou posse e governa o local com severidade e crueldade. Nappa e Vegeta são capturados propositalmente para conhecer o líder. Depois de derrotar o micro exército de soldados do tirano, Vegeta e Nappa voltam a nave e seguem seu rumo à Terra, mas antes, Vegeta explode o planeta por considerá-lo inútil. Possuía uma lua em sua órbita, que desapareceu junto com o planeta. Big Ghetti Star (Movie 6 -Dragon Ball Z) Uma espécie de planeta-máquina sapiente que vagava pelo universo em busca de seres vivos para absorver energia vital dos mesmos. Foi esta nave que recuperou os restos de Coola (que havia sido derrotado por Goku) e uniu o cérebro dele com o CPU central do planeta. Com este novo poder, passou a criar réplicas robóticas iguais a sua, só que muito mais poderosas do que quando ele havia lutado na Terra e também com capacidade de regeneração assombrosa. Coola passou a procurar planetas para usar como "combustível", para garantir a sua sobrevivência. Um desses foi o planeta New Namek. Porém, Coola e a Big Star foram destruídos por Vegeta e Goku antes de concluírem seus objetivos. "Fake Namek" (episódio 40 - Dragon Ball Z) Na verdade, o nome desse planeta é desconhecido. Sabe-se apenas que é composto por uma superfície extremamente vulcânica e habitado aparentemente por apenas por 2 seres transmorfos dotados de significativo poder psíquico e ilusório. Durante a viagem de Gohan, Bulma e Kurilin rumo ao planeta Namek, estes seres leram suas mentes e fizeram-se passar por Nameks utilizando-se de seus poderes ilusórios, inclusive mudando até o aspecto do planeta, na intenção de devorá-los, como faziam com todos os viajantes que se aproximassem do planeta. Felizmente, o poder de Gohan e Kurilin deram conta dos dois aliens, ao saberem da farsa. Júpiter (episódio 37 - Dragon Ball Z) Quando Bulma e Sr. Popo encontraram a nave de Kami Sama perdida em Yunzabit, Bulma propôs a Popo que, para testar se o equipamento ainda funcionava, ele ordenasse a nave ir até Júpiter utilizando o idioma Namek, o único meio de controlar a nave. A nave "obedeceu", levando-os até as proximidades de Júpiter, em apenas 1 minuto! Kanassa (Dragon Ball Z - Especial Bardock) Este foi um dos vários planetas conquistados por Bardock e seus companheiros, sob às ordens de Freeza. Os habitantes deste planeta possuíam um poder psíquico extremamente elevado, porém não valeu de nada para impedir os soldados de Freeza de conquistá-lo. Foi um Kanassiano que amaldiçoou Bardock com o dom de ver o futuro. Possuí 1 lua em sua órbita. Konatz (Movie 13 - Dragon Ball Z) Este é o lar de Tapion e Minosha. Situado na Galáxia Sul do Setor Leste do Universo, este planeta quase que foi destruído por Hildergarn, mas Tapion conseguiu confiná-lo, salvando a existência do planeta e de seus habitantes. Meet (Dragon Ball Z - Especial Bardock) Não muito se sabe sobre este planeta. Freeza havia mandado os companheiros de Bardock para uma missão de reconhecimento, porém a intenção de Freeza era outra. Sabendo do potencial que os Saiyajins possuíam e com medo de que eles se rebelassem, Freeza iniciou sua campanha de exterminação aos Saiyajins, ordenando Dodoria e seus homens executar a equipe de Bardock neste planeta. Metamoru Nada se sabe sobre este planeta, apenas que ele é o lar dos seres que ensinaram a Goku a técnica da fusão Metamoru, no outro mundo. Apesar de não serem muito fortes, quando executavam a fusão tornavam-se guerreiros consideravelmente poderosos. New Namek [Nova Namek] (episódio 160 - Dragon Ball Z/ episódio 176 - Dragon Ball Z/ Movie 6 - Dragon Ball Z) Após a destruição do planeta Namek, os Nameks (ou Namekuseijins) ficaram hospedados por um tempo na Terra. Como provavelmente eles nunca iriam se adaptar aos costumes terrestres, eles pediram as Esferas do Dragão que os levassem a um planeta semelhante à Namek. Nova Namek é praticamente idêntica a Namek original, até possui 3 sóis próximos ao planeta. Nova Namek também possui o mesmo tipo de vegetação que a Namek original, porém em maior quantidade. OBS - Nova Namek foi criada no episódio 160 - Dragon Ball Z, porém ela só aparece no episódio 176 - Dragon Ball Z. Ela também aparece no Movie 6 - Dragon Ball Z. New Vegeta [Nova Vegeta] (Movie 8 - Dragon Ball Z) Paragus, pai de Brolli, nomeou este planeta como o novo planeta dos Saiyajins. Porém, não passava de pretexto para que ele pudesse acabar com o único sobrevivente da família real dos Saiyajins, Vegeta. O planeta, originalmente conhecido como Gumori, era bem subdesenvolvido e a energia que o planeta recebia concentrava-se em apenas um lado. Um meteoro chocou-se contra o planeta, explodindo-o. Possuía uma lua em sua órbita, que desapareceu junto ao planeta. Namek (episódio 44 - Dragon Ball Z) Este é o aspecto do planeta Namek antes de ser destruído na batalha de Freeza. A gravidade deste planeta é parecida com a do planeta Terra, o clima é o mesmo por todo local que se vá e também não existe noite, devido aos 3 sóis existentes em seu sistema. Os habitantes deste planeta são os Nameks (ou Namekusei-jins), que se dividem em 2 grandes grupos: os Nameks da Tribo do Dragão e os Nameks da Raça Guerreira. Por serem bastante pacíficos, os habitantes deste planeta receberam dos KaioShins todo o conhecimento p/ criar as Esferas do Dragão. Entretanto, no ano de 261, uma catástrofe climática esteve a ponto de aniquilar todos os habitantes do planeta, mas por sorte, um único habitante conseguiu sobreviver e repovoou o planeta novamente, através de reprodução assexuada. Apesar do planeta ter sido destruído por Freeza, os habitantes conseguiram se salvar, sendo teleportados p/ o planeta Terra, graças as esferas do Dragão de Namek. Existiam duas luas em sua órbita. Planeta Coola #6 Inicialmente, este planeta era conhecido como planeta Zordo. Sob o domínio espacial de Coola, a superfície deste planeta está praticamente coberta por água e os seres que nela habitam são anfíbios. Um dos membros das forças especiais de Coola, Naise, era oriundo deste planeta. Planeta Coola #98 Inicialmente, este planeta era conhecido como planeta Brench. Sob o domínio espacial de Coola, o planeta encontra-se em um sistema solar com 2 sóis e possuí uma enorme força de gravidade. O líder das forças especiais de Coola, Thouser, era oriundo deste planeta. Planeta Coola #256 Inicialmente, este planeta era conhecido como planeta Biper. Sob o domínio espacial de Coola, a superfície deste planeta possuí uma grande atividade vulcânica. Um dos membros das forças especiais de Coola, Doore, era oriundo deste planeta. Planeta Desconhecido - Norte (episódio 5 - Dragon Ball Z) Quase nada se sabe sobre este planeta. Este é o planeta onde foi mostrado pela primeira vez, os Saiyans Nappa e Vegeta, logo no início da série Z. É um planeta que possui fauna e flora abundante, com vários tipos de animais rondando a região, além de uma vasta vegetação. Possuí duas luas em sua órbita. Planeta Freeza #79 (episódio 42 - Dragon Ball Z) É apenas um dos milhares de planetas que compõem o império de Freeza. Este planeta era utilizado como um dos quartéis generais do exército de Freeza e também era usado como base operacional. Planeta Maligno [Makyo] (episódio 113) Makyo era um planeta cuja órbita aproximava-se da Terra a cada cinco mil anos e cuja essência maligna aumentava o poder de todos os seres que nele nasceram, como Garlic, seu filho Garlic Jr. e seus capangas. Em Outubro do ano 763, Makyo estava tão próxima da Terra que acabou permitindo com que Garlic Jr. escapasse da Zona da Morte, perturbasse os pobres terráqueos e aumentasse seu poder. Mas graças a intervenção de Gohan, Piccolo e Kurilin, os planos de Garlic Jr. foram por água abaixo, junto com seu planeta de origem, que foi destruído. Planeta Vegeta (episódio 2 - Dragon Ball Z/ Dragon Ball Z - Especial Bardock) Inicialmente, este planeta era conhecido como planeta Plant e era habitado por Tsufurujins (ou Tsurfurans, Tsurfur-jins), seres dotados de grande inteligência e alto conhecimento tecnológico. Mas a partir do ano de 550, uma nave à deriva com tripulantes de uma raça primitiva guerreira com poderes descomunais, os Saiyajins, pousou no planeta. A partir daí, os Saiyajins se adaptaram ao planeta, convivendo com os Tsufurujins por vários anos, chegando a constituir cerca de 20% da população total dos habitantes do planeta. Entretanto, uma grande guerra iniciou-se durante os anos 720 à 730, em prol do domínio absoluto do planeta. Mesmo com tanta tecnologia, os Tsufurujins não conseguiram impedir a revolta dos Saiyans, que aproveitaram-se do fenômeno Oozaru (ocorrido 1 vez a cada 8 anos nesse planeta), exterminando quase que por completo todos os Tsufurujins e de quebra, ainda ficaram com toda a tecnologia deles. O nome do planeta foi mudado para Vegeta, em homenagem ao Rei que governava os Saiyans, Rei Vegeta. Mais tarde, o planeta Vegeta foi destruído no ano de 737 por Freeza, que tinha medo que os Saiyans crescessem em poder e se rebelassem contra ele. Possuía uma lua em sua órbita. Planeta da Escuridão [Planet of Darkness ou Ankoku] (episódio 223 - Dragon Ball Z) É o local de nascimento de Yarkon (ou Yakkon). Babidi utilizou de seus poderes mágicos e mudou o campo de batalha para este planeta, apenas para favorecer Yarkon, um Darkstariano que assim como outros de sua raça, usam a energia das trevas em benefício próprio. É um planeta totalmente escuro, devido ao fato de estar longe de qualquer estrela. Popor Nada se sabe sobre este planeta, ele é apenas citado por Kibitto como o lar de sapos nativos cujas fezes possuem uma coloração parecida com a do uniforme de Goku ("é um amarelo-escuro..."). Shamo (Movie 8 - Dragon Ball Z) Este é o nome do planeta povoado por pequenos seres pacíficos que foram escravizados por Paragus para trabalhar nas minas de New Vegeta. Com a derrota de Brolly e Paragus, Goku e companhia se encarregaram de levá-los para seu planeta de origem. Slug Ship (Movie 4 - Dragon Ball Z) Slug conquistava planetas e depois os usava como naves. Ele tentou fazer o mesmo com a Terra, mas foi derrotado por Goku e companhia. Este foi o último planeta conquistado por Slug. Yardratto (episódio 123 - Dragon Ball Z) Também conhecido como Yardarrat, este foi o planeta para qual Goku foi mandado após ter conseguido escapar da explosão de Namek, em uma das naves das Forças especiais de Freeza. A nave estava automaticamente programada para ir para este planeta, pois provavelmente seria o próximo alvo de conquista de Freeza. Os habitantes são seres rosados, de olhos grandes, e de trajes estranhos, chamados Yardarratt-jins. Apesar de não serem muito poderosos, eles possuem técnicas realmente interessantes, como o Shunkanido (movimento instantâneo ou Teleporte). Goku aprendeu esta técnica com os habitantes deste planeta. Possuí uma lua em sua órbita. Zun (episódio 222 - Dragon Ball Z) É um planeta escuro e frio, local de nascimento de Pui Pui. Possui uma gravidade 10 vezes superior à da Terra. Babidi usou sua magia para mudar o campo de batalha para este planeta a fim de favorecer Pui Pui. Imegga (episódios 3-4) Este é o 1º planeta que Goku, Pan e Trunks visitam na jornada em busca das Black Star Dragon Balls e é também o planeta onde conhecem Giru. Imegga é um planeta 100% capitalista, onde tudo gira em torno da moeda local (Gammecks). O planeta é governado pelo tirano Don Kear que explora os habitantes do planeta com preços e taxas de impostos exorbitantes. Por sorte, Goku e cia derrotou o tirano, fazendo-o com que ele devolvesse todo o dinheiro recolhido para o povo. Foi neste planeta que Goku teve o seu 1º ''grande'' combate na série GT, contra Ledgic. Monmaasu (episódio 6) Este é o 2º planeta que Goku, Pan e Trunks e Giru visitam na jornada em busca das Black Star Dragon Balls e é também onde encontram a 1ª Black Star Dragon Ball. Monmaasu possuí uma flora e fauna muito semelhantes com que existem no planeta Terra, porém tudo no planeta Monmaasu é gigantesco, deixando Goku e os outros parecerem insetos. A única forma de vida considerada inteligente que aparece nesse planeta é uma espécie de humanóide gigante que teve uma baita dor de dente ao mastigar acidentalmente a esfera de 4 estrelas negras, que estava presa numa maçã. Por sorte, Goku o "salvou" da dor de dente, ao retirar o dente que estava com a esfera grudada, usando um poderoso KameHameHa. O nome Monmaasu é uma referência a palavra inglesa Mammoth (Mamute), um nome bem apropriado para o planeta. Curiosamente, o planeta Monmaasu aparece escrito como Manmousu, numa seção do livro Perfect File GT (sendo que encontram-se as 2 grafias no mesmo livro). Kerubo (episódios 7-8) Este é o 3º planeta que Goku, Pan e Trunks e Giru visitam na jornada em busca das Black Star Dragon Balls e é também onde encontram a 2nda Black Star Dragon Ball. Kerubo é um planeta onde ocorre grandes incidências de abalos sísmicos e conseqüentemente vulcânicos. Entretanto, tais abalos são atribuídos à um monstro, chamado Zunama que ameaça aos nativos de Kerubo em continuar com os tremores, caso não arrumem uma esposa bonita pra ele. Mas graças a ajuda de Goku e dos outros, é descoberto que Zunama não provoca os tremores, mas sim apenas os pressente. Goku fez um KameHameHa que destruiu o vulcão todo, fazendo ele parar de soltar lava. Como Goku e os outros ajudaram, os nativos entregam uma Black Star Dragon Ball de 6 estrelas, que havia sido ofertada caso ajudassem. Entretanto 3 vilões chamados Bonpara, Sonpara e Donpara (os irmãos Parapara) roubam a esfera e fogem do planeta. Biihe (episódios 9-10) Este é o 4º planeta que aparece em GT. Na verdade, trata-se de um asteróide habitado por seres chamados Muumas (Oomas), que são parecidos com vermes gigantes, totalmente desprovidos de razão e sedentos por sangue. Quanto mais se adentra nesse planeta, fica mais difícil de sair, pois ele é um labirinto infestado por Oomas famintos. Goku, Pan e Trunks e Giru caem nesse asteróide devido a uma armadilha forjada pelos irmãos Parapara. Biihe na verdade é um anagrama da palavra Hebi, que significa "serpente". Planeta Ruudo (episódios 11-14) Este é o 5º planeta que Goku, Pan e Trunks e Giru visitam. É basicamente nesse planeta que inicia-se realmente a história de Dragon Ball GT (saga Baby), envolvendo personagens significativos na saga, como Doll-Takki, Rild e Dr. Myuu. O planeta Ruudo é basicamente um planeta religioso, cujos fiéis seguem o Ruudismo, uma seita que acredita na ressurreição do ''deus'' Ruudo. Essa seita tinha como líder o Cardeal Mutchy-Motchy e o profeta do Ruudismo Doll-Takki. Na verdade, o Ruudismo era um pretexto para enganar todos os seguidores da seita, com o propósito de reunir energia suficiente para ativar o ''deus'' Ruudo, que era um robô que se alimentava de energia viva. É nesse planeta que Goku e cia. recuperam a esfera de 6 estrelas negras. Planeta Ruudeze (episódio 15) Este é o 6º planeta que Goku, Pan e Trunks e Giru visitam na jornada em busca das Black Star Dragon Balls e é também onde encontram mais uma Black Star Dragon Ball, a esfera de 5 estrelas negras. É um planeta completamente desértico, quente e habitado por seres parecidos com centopéias gigantes. Nesse planeta, Pan decide abandonar o grupo, devido as críticas feitas pelo grupo à ela. O maior problema que os heróis sofreram nesse planeta foram as altas temperaturas e o ataque constante das centopéias gigantes. Ruudeze é um anagrama da palavra Deruze, que significa algo como "volte para casa". Planeta M2 (Planeta das Máquinas Mutantes) Este é o 7º planeta que Goku, Pan e Trunks e Giru visitam, à pedido de Giru. M2 é o planeta base de onde são realizados os mais diversos experimentos criados pelo Dr. Myuu, inclusive Rild e Baby. O planeta é constituído apenas por metal, sob as mais diferentes formas. As árvores frutíferas, por exemplo, são de metal maciço, impróprio para o consumo, exceto pelos robôs mutantes que habitam esse planeta. Na realidade, o planeta M2 é também fruto das experiências do Dr. Myuu, que o transformou em um planeta-mutante com vida e inteligência própria, cujo controle está sob responsabilidade de Rild, que não deixa de ser uma extensão do próprio planeta. Pelo que dá para entender na série, os habitantes do planeta M2 eram seres normais-não-robóticos, porém, com a presença do Dr. Myuu e o acordo que fez com Rild em usá-lo em suas experiências (que antes de se tornar um robô mutante, era um alienígena comum), fez com que M2 e seus habitantes se tornassem o que são atualmente. Só para constar, M2 é o planeta natal de Giru e Rild. Planeta Pital (episódios 23-24) Este é o 8º planeta que Goku, Pan e Trunks e Giru visitam. Na verdade, eles pousam nesse planeta para salvar a vida de um garoto-alienígena que eles resgataram em uma nave que estava prestes a ser sugada por uma estrela. O planeta Pital é um planeta com alto desenvolvimento tecnológico e possuidor de uma medicina bastante avançada, o que era bom para o garoto. Infelizmente, o tal garoto estava possuído por Baby, provocando bastante estragos no hospital onde estava internado. Por sorte, Goku e cia. sabiam que era Baby que estava no corpo do garoto e que fingiram ajudá-lo para ver qual era realmente o seu propósito. Mas Baby consegue escapar e acaba fugindo num ônibus espacial com destino à Terra. Pital é uma referência a palavra Hospital. Planeta dos Tigres Gigantes (episódio 25) Não há muito o que dizer sobre este planeta. Sabe-se apenas que ele é habitado por... tigres gigantes! Este é o 9º planeta visitado por Goku e companhia e é neste planeta que eles encontram a esfera de 7 estrelas negras. Curiosamente, este planeta não possuí um nome oficial. Planeta dos Dinossauros (episódio 26) Também não há muito o que dizer sobre este planeta. Sabe-se apenas que ele é habitado por... dinossauros! Este é o 10º planeta visitado por Goku e companhia e é neste planeta que eles encontram a esfera de 3 estrelas negras. Curiosamente, este planeta também não possuí um nome oficial. Planeta do Gelo (episódio 27) Diferente do Planeta Ruudeze, este planeta é absurdamente gelado, constituído unicamente por gelo e neve. Assim como o Planeta dos Dinossauros e o Planeta dos Tigres Gigantes, este planeta também não possuí um nome oficial. Sua única importância é que é neste planeta que Goku e companhia encontram a última das Black Star Dragon Balls, a esfera de 2 estrelas negras. New Plant (episódio 33-39) Não confundir com o planeta New Vegeta, pois New Plant seria basicamente o antigo Planeta Vegeta, ou melhor dizendo, o planeta Plant (ou planeta Tsufuru) antes de ser dominado pelos Saiyajins. Baby-Vegeta pede ao Shenlong das Black Star Dragon Balls que construa um planeta idêntico ao seu antigo planeta Plant, para assim repovoá-lo com os novos membros da raça Tsufuru (que seriam os terráqueos possuídos por Baby) e reerguer seu império. Contudo, o planeta Plant possuí a mesma arquitetura e aspecto do planeta Terra, não levando em conta a gravidade do planeta Plant/ Tsufuru/ Vegeta original, muito menos a sua localização no espaço, já que New Plant encontrava-se muito próximo ao planeta Terra. É neste planeta que Goku trava sua batalha, contra Baby-Vegeta e é aqui que ele se transforma pela 1ª vez em Super Saiyajin 4. Uma curiosidade é que Saiya é um anagrama da palavra Yasai, que significa "vegetal". Já Tsufuru é uma referência a palavra Fruit (fruta). Assim sendo, tanto os Saiyans (vegetais), quanto seus inimigos Tsufurus (frutas), travaram duras batalhas p/ decidir o destino do planeta Plant que, traduzido, significa... planta!

Um comentário: